quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Pixação é vandalismo?



Quem decide o que é vandalismo?
Eu amo arte de rua e acho importante até mesmo a pixação, rabiscos que só tem significado para quem fez. A subversão pela subversão é válida para quem faz, como forma de expressar/extravasar frustrações e para quem vê, acho que abre possibilidades. Possibilidades do tipo: "poxa, nem todo mundo tá na caixinha, nem todo mundo segue a regra. De repente, em algumas coisas eu também não preciso seguir a manada." Acho que gera, entre outras coisas, inquietação.
Eu vejo a pixação/ grafitti/ lambe-lambe e etc, como sementinhas de ideias, como pulga atrás da orelha. Interrogações, reflexões... Alguém está mostrando que não está satisfeito com a porra toda. Alguém está correndo riscos para passar a sua mensagem.
Acho lindo, acho massa, acho 10!

Assisti o documentário Pixo, que super recomendo, e transcrevi algumas parte que achei interessantes.

"Pixação é arte. É o nosso sentimento. Sentimento que ninguém quer ver, que todo mundo fecha os olhos, ninguém quer prestar atenção na gente." (By Menina linda pixadora da periferia.)

"Pixação é da periferia, vc vê poucos playboys fazendo pixo. Existem 3 motivos que fazem as pessoas pixarem:
1º reconhecimento social.
2º lazer e adrenalina.
3º protesto." (um cara do documentário.)

Aí esses dias, vi gentes e páginas do facebook que se dizem revolucionárias/ de esquerda e talicoisa compartilhando essa imagem: 

Então quero pedir que reflitam comigo:
- Vocês sabem que a pixação veio da favela como uma forma de expressão, de protesto porque as pessoas da periferia são ignoradas pelo governo e pela sociedade. O pixo é uma forma de sair da invisibilidade e é para muitos uma forma de diversão.

- Livros são importantes? Eu acho, mas falo aqui do meu apartamento tranquilinho e tals. Livros fazem sentido na minha vida porque pra mim, que quando criança apenas estudava e que atualmente não preciso defender minha vida todo dia, seja de traficante ou PM, tive tempo pra ler e entrar num mundo onde os livros são importantes. Mas essa é a minha vivência, muitas pessoas desse país não tem a mesma sorte, o mesmo privilégio.

Eu não tenho propriedade alguma pra falar da vida na favela, o que sei vem dos relatos que ouço, dos documentários e filmes. De qualquer forma, acho que devemos ter empatia: tratar todos como seres humanos (pessoas da favela e mendigos são gente como vc, saca?) e respeitar suas formas de expressão. Porque o pixo é uma forma de expressão. O pixo é a voz da favela e a favela não tem que se calar. 


Importante dizer que pixação/grafitti/lambe-lambe/etc dá vida à cidade. Uma cidade sem essas coisas é lugar de gente morta (leia-se pessoas sem expressão, passivas, submissas, alienadas, etc.)




Quem quiser saber mais sobre pixação, recomendo o documentário PIXO:
http://www.youtube.com/watch?v=SW-h8w2Slhw&hd=1

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Brinquedos e sexismo.

Quando for comprar brinquedos para presentear uma criança, é importante lembrar de não reforçar os estereótipos de gênero.
As crianças podem brincar com o que quiserem, nosso papel é oferecer diversos tipos de brinquedos para que elas possam escolher e principalmente para que não se sintam limitadas.


Para quem não sabe, os estereótipos de gênero referem-se aos comportamentos e ações esperados de uma pessoa, conforme seu gênero (claro que nesse caso sempre se pensa em masculino e feminino, negando-se outras identidades). Ou seja: mulher tem que cozinhar, limpar a casa e cuidar dos filhos. Homens andam de carro, trabalham fora e fazem o que quiserem. Isso se reflete nos brinquedos que tradicionalmente as pessoas dão às crianças.


Quando brinca, a criança além de estar se divertindo, está testando possibilidades sobre atividades que poderá exercer no futuro. Os teóricos afirmam que é brincando que a criança vai compreendendo o mundo que a cerca. O brincar é a linguagem da criança.


Acho importante os meninos terem acesso à bonecas, panelinhas e brinquedos desse tipo. Em algum momento da vida eles precisarão saber cuidar da sua casa e talvez tenham filhos, e queremos que os pais participem igualmente da criação dos filhos, não é? E claro, os meninos podem/devem brincar com seus super-heróis, blocos de construção, etc.


Quanto às meninas, muitas vezes elas só tem acesso a bonecas e panelinhas. Limitamos demais nossas meninas. Elas podem sim brincar de boneca, mas vamos oferecer também blocos de construção, peças de encaixe, super-heróis. Vamos expandir as possibilidades delas. Porque elas podem ser o que quiserem e essa opção tem que estar disponível já na infância, no faz-de-conta, para ser algo natural ao longo de suas vidas.


Dito isso, quero dizer que tenho um carinho especial por brinquedos de madeira, eles parecem mais aconchegantes (não sei se essa é a palavra certa) e geralmente duram mais. Minha dica é dar brinquedos de madeira sem cor e levar tintas para pintar com a criança. É, criança demanda tempo e tempo de qualidade.


Assistam esse vídeo (é lindemais!):


E vc, quais suas experiências com brinquedos e crianças? Do que vc brincava na sua infância?
Vamos conversar sobre isso? Vambrincá? =D


P.S.: um textinho sobre os benefícios dos brinquedos de madeira:
http://www.reidaverdade.net/brinquedos-de-madeira-educativos.html

sábado, 14 de dezembro de 2013

Good bye, 2013!

Ano tá acabando e nessa época sempre fico um tanto nostálgica, fazendo retrospectivas e talicoisa.
O que dizer de 2013, esse ano que passou voando?
Começou uma merda e foi melhorando estratosféricamente. Chorei, sorri... o importante é que emoções eu vivi. Mas nem tão clichê quanto essa música! (pelo menos é o que eu gosto de pensar!)

Agradecimentos pela maravilhosa amizade com minha sista de sangue e a de coração, Kelly e Suza. É muito bom ter vocês por perto! Ana Paula e Adriana, nossas encontros são sempre ótimos. Obrigada pela amizade!



Foi absurdamente maravilhoso ter conhecido (e amado já de cara) Georgia, Mariana e Carolina. Vocês agregam muito amor femininja à minha vida. Obrigada por me mostrarem que sororidade é possível sim. 


E apesar de não parecer, as vezes a gente desliga os briquedinhos eletrônicos e vai viver, então não tenho fotos com Lele, Lerysse, Bonnie e Claudia. Mas foi muito bom conhecer vocês, pessoas lindas! 

Aos amores todos dessa minha vida (que nem são tantos assim): vocês agregam alegria e carinho à minha vida, obrigada! 

Aos amigos virtuais que ainda não encontrei pessoalmente: obrigada por me aturarem (é mútuo, né Fox?) e me apoiarem sempre: Jana e Patrícia. Vontade de tomar chopps ou café com vocês é grande. Vamos fazer isso em 2014?! 

E já ia me esquecendo: sobrinhos Bruno e Bryan... minha felicidade em forma de crianças, amo vocês!

Minha memória é um pouco ruim, mas espero não ter esquecido de ninguém.
Aprendi muito sobre mim mesma esse ano e esse aprendizado continua sempre...
Que venha 2014 pra gente continuar sendo feliz! 















Link-Me


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails