terça-feira, 30 de março de 2010

Gentileza gera gentileza?!!

Olha aqui, é...Não é por nada, não...Mas todas as pessoas, sem exceção, são inseguras. É por isso também que o nosso mundo é meio neurótico, louco e agitado por natureza.

 E tem pessoas que acreditam que estudando mais, trabalhando ou ganhando mais, resolveriam seu problema de insegurança. no entanto, isso não é assim e não é verdade, por uma simples razão: segurança não depende só dá gente, mas dos outros também.

Assim, a gente sempre será um ninguém se uma outra pessoa não nos considerar alguém. E isso pode acontecer através de um afago, de um palavra  de carinho, de um gesto, de uma declaração, um sorriso, ou simplesmente de um olhar.

O ruim é que quase sempre estamos preocupados com a própria insegurança, que não tiramos tempo pra validar a segurança dos outros. É por isso também que, por exemplo, na política, todos querem dominar os outros em busca do poder pra se sentir seguro.

Então, se quisermos tornar o nosso mundo menos inseguro e melhor, seria bom nos acostumarmos a elogiar, a dar um sorriso, desejar saúde e felicidades, cumprimentar com parabéns, reconhecer méritos e qualidades, bater palmas, beijar ou simplesmente levantar o dedão polegar para cima, e em forma de uma positiva comunicação transmitir um "valeu, cara!"
Ah!...outra coisinha...Nunca devemos deixar também de agradecer qualquer ato ou fato relativo à gente.


By Horácio Braun.


***♥♥***
Meu povo lindo....agradeço as visitas e os comentários e olha, não vou 'largar' esse blog não....rsrs...Mas quero dizer que minhas visitas nos blogs de vocês não será mais tão frequente....estou muito ocupada (vida pessoal/profissional), mas feliz....então, espero que entendam...e podem ter certeza, leio cada comentário, cada e-mail com muito carinho.....meus 48 seguidores são lindosss, adoro!!!

domingo, 28 de março de 2010

Remédio!

esse remédio eu conheço, é aspirina,
isso só faz com que a cabeça descanse em paz,
enquanto a confusão contamina.

Esse remédio jamais vai curar,
esse remédio azul anfetamina,
isso só faz do beijo o amor, e do amor a pastilha,
que eu ponho na boca e termina.

É como verso popular,
chega nas nuvens, desmancha no ar,
e sempre volta pro lugar,
esse remédio jamais vai curar.

Esse remédio eu conheço é gasolina,
isso queima quem brinca com fogo, quem corre, quem fica,
e quem quer mais calor na retina.

É como verso popular,
chega nas nuvens, desmancha no ar,
e sempre volta pro lugar.

By Acústicos e Valvulados.

***♥♥♥***
Tenho sentido vontade de escrever um pouco do que sinto e vivo, porém sei que tem algumas pessoas que passam por aqui e não vão entender...estou pensando na possibilidade de tornar esse blog privado....ou continuar postando coisas impessoais e de outros autores...
Tenho pensado sobre isso....não gosto de só postar textos de terceiros, isso me incomoda......logo me decido.
Ótima semana!

sexta-feira, 26 de março de 2010

Viver...

"Viver! Beber o vento e o sol! Erguer
Ao céu o coração a palpitar! (...)

Asas sempre perdidas a pairar!
Mais alto até estrelas desprender!
A glória! A fama! Orgulho de criar!

Da vida tenho o mel e tenho os travos.
No lago dos meus olhos de violetas
Nos meus beijos estáticos, pagãos!"


* Florbela Espanca (1894 - 1930), poetisa portuguesa, em Exaltação, do livro Poesia de Florbela Espanca.*

quarta-feira, 24 de março de 2010

Porque vivemos tanto....

No primeiro dia, Deus criou a vaca e disse:
"Você deve, diariamente, ir ao campo com o fazendeiro, ficar Sob o sol, ter bezerros e dar leite para alimentar fazendeiro.
Eu lhe dou 60 anos de vida"
A vaca respondeu:
"É uma vida muito sacrificada para mim durante 60 anos.
Eu aceito 20 e devolvo os outros 40."
E Deus aceitou.

No segundo dia, Deus criou o cachorro e disse:
"Fique sentado todos os dias sob o sol,
Na frente da casa e lata para qualquer um que passar.
Eu lhe dou uma vida de 20 anos."
O cachorro disse:
"É uma vida muito longa para ficar latindo.
Dê-me 10 anos e eu devolvo os outros 10."
E Deus aceitou.

No terceiro dia, Deus criou o macaco e disse: "Divirta as pessoas, faça-as rir. Eu lhe concedo 20 anos."

O macaco disse:
"Fazer macaquice por 20 anos é muito chato. Para o cachorro o Sr. Concedeu 10 anos. Faça o mesmo comigo.."
E Deus concordou.

No quarto dia, Deus criou o homem e disse:
"Coma, durma, brinque, faça sexo e não se preocupe com nada.
E lhe concedo 20 anos.

O homem respondeu:
"O quê? Só 20 anos? Que miséria.
Veja, eu pego os meus 20, os 40 que a vaca devolveu, Os 10 do macaco e os 10 do cachorro.
Isso faz 80 anos.
Está bem" -Deus respondeu. "Negócio fechado".

É Por isso que durante os 20 primeiros anos de nossa vida nós comemos, dormimos, brincamos, fazemos sexo ...
E não fazemos mais nada.

Nos 40 anos seguintes nós trabalhamos como uma vaca sob o sol para manter a família.
Nos outros 10 anos fazemos macaquices para distrair os netos.
E nos últimos dez anos ficamos sentados na frente da casa cuidando de todo mundo...


Bem, agora vamos ao trabalho porque já passamos dos 20... rsrsrs


Recebido por e-mail.

segunda-feira, 22 de março de 2010

O Motel...


Mirtes não se aguentou e contou para a Lurdes:
- Viram o teu marido entrando num motel.
A Lurdes abriu a boca e arregalou os olhos. Ficou assim, uma estátua de espanto, durante um minuto, um minuto e meio. Depois pediu detalhes.
- Quando? Onde? Com quem?
- Ontem. No Discretíssimu’s.
- Com quem? Com quem?
- Isso eu não sei.
- Mas como? Era alta? Magra? Loira? Puxava de uma perna?
- Não sei, Lu.
- O Carlos Alberto me paga. Ah, me paga!

Quando o Carlos Alberto chegou em casa a Lurdes anunciou que iria deixá-lo. E contou por quê.
- Mas que historia é essa, Lurdes? Você sabe quem era a mulher que estava comigo no motel. Era você!
- Pois é. Maldita hora em que eu aceitei ir. Discretíssimu’s??? Toda a cidade ficou sabendo. Ainda bem que não me identificaram.
- Pois então?
- Pois então que eu tenho que deixar você. Não vê? É o que todas as minhas amigas esperam que eu faça. Não sou mulher de ser enganada pelo marido e não reagir.
- Mas você não foi enganada. Quem estava comigo era você!
- Mas elas não sabem disso!
- Eu não acredito, Lurdes! Você vai desmanchar nosso casamento por isso? Por uma convenção?
- Vou!

Mais tarde, quando a Lurdes estava saindo de casa, com as malas, o Carlos Alberto a interceptou. Estava sombrio.
- Acabo de receber um telefonema – disse. – Era o Dico.
- O que ele queria?
- Fez mil rodeios, mas acabou me contando. Disse que, como meu amigo, tinha que contar.
- O quê?
- Você foi vista saindo do motel Discretíssimu’s ontem, com um homem.
- O homem era você!
- Eu sei, mas eu não fui identificado.
- Você não disse que era você?
- O que? Para que os meus amigos pensem que eu vou a motel com a minha própria mulher?
- E então?
- Desculpe, Lurdes, mas…
- O quê?
- Vou ter que te dar um tiro…


De Luis Fernando Veríssimo.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Quando a tua vontade é crescer

Tudo está disponível quando a tua vontade é crescer.
Tudo a tua volta, desde a pequena flor, até o imenso carvalho estão a tua disposição para compartilhar o crescer, o silêncio, a comunhão com Deus.

Crescer não é poder, é querer.
A vontade de cada um é a única necessidade para estar presente e aprender com a vida.
Dá a ti mesmo a oportunidade para estar em quietude.

Observa uma flor de perto e vê suas cores, sente seu perfume.
Ouve o murmurar das águas, o vento nas folhas, a chuva no rio...
Fecha teus olhos e deixa que o mundo interior te conduza à paz, ao amor.

Se desejares verdadeiramente, não te parecerá difícil.
A paz não pode ser difícil para aqueles que a desejam.

Tem paciência com os dias, com teus humores, com teus vazios...
Tem compreensão para contigo, para com o outro, para com a vida.
Tudo tem seu tempo de desabrochar, de florescer aos olhos de Deus.

Se forças, perdes o momento onde descansa o aprendizado.
Lembra que tens que estar pronto para cada coisa que te chega, ao contrário poderás não vê-la tão presente no teu aprendizado...

Traz a certeza de que tudo que pedires com o teu coração, chegará, mansamente, para ti.
Pois és a luz, o amor que habita a sã presença de Quem te criou!

terça-feira, 16 de março de 2010

Paixão 'selvagem'...

Ele se sentia enlouquecido por ela, pelo gosto da sua pele, urgência de suas mãos. Sob os pálidos respingos do luar que penetrava através do  vidro, o corpo dela parecia sobrenatural e misterioso, mármore branco eroticamente aquecido, quente ao toque e rebrilhando com o saudável suor daquele momento de lascívia. Quando ele enterrou os dentes no pescoço dela, era como estar se alimentando. Sua boca era selvagem, e o corpo dela se precipitava de encontro ao dele. Ela gritou quando os dedos dele a levaram de modo suave para além da beira do abismo.


Por Nora Roberts.

sábado, 13 de março de 2010

Cuspir ou engolir? Eis a questão!

(Você decide! Será que ela engole? Será que ela cospe?)

Estive lendo alguns textos, livros...sobre relacionamentos, sobre discussões....
Sabe quando alguém te fala algo sobre sua personalidade ou alguma atitude sua? Ou quando você fica sabendo isso através de 'outrem'?
Então, nos textos que lí e que ilustravam acontecimentos assim, os personagens falavam: "ah, não vamos falar sobre isso, não quero discutir."
Aí comecei a pensar na minha vida e percebi que eu não consigo ser assim.....evitar uma discussão....
Se alguma coisa me incomoda, não consigo ficar tranquila enquanto não conversar e resolver...fica um nó na garganta, parece que tem algo "entalado"....rsrs....uma sensação muito ruim....
Sei que cada pessoa é diferente e por isso é impossível viver em harmonia com todos sempre....Mas é mediocridade guardar mágoas, coisas pequenas...a vida é bem mais que isso. Claro que há casos em que é dificil entender, perdoar e tal...Mas é sempre interessante fazer um "exercício de alteridade" ou seja; se colocar no lugar do outro, ver a questão sobre outro prisma...
Enfim, sempre acho que o mais sensato a se fazer nessas horas é conversar, respeitar o outro e suas idéias, mesmo que sejam o oposto das suas...Explicar seu modo de agir e entender o outro...Tentar um acordo que seja agradável para ambas as partes. É possível sim!
(Só love!)

Por isso o título provocativo...e a minha resposta é só engulo se for bem 'mastigadinho'! (ou líquido, mas aí é outra história....rsrs.)
E você, engole ou cospe? Por quê?

terça-feira, 9 de março de 2010

Lembranças....

Hoje na rua ví a nova campanha de publicidade da Escola de Inglês Wizzard:


E lembrei da minha adolescência (15 anos), época em que estávamos ganhando os primeiros celulares...
Eu tinha ganhado o meu e o Bernardo (nome fictício, minha paixonite aguda) ficou sabendo.....íamos em uma festinha e coloquei como mensagem no display:
Kiss me, Bê!
Sabia que ele ia pedir para olhar o celular novo....e pediu....olhou, olhou e sorriu....e depois, num escurinho qualquer, me deu o tão esperado beijo....foi maravilhoso, inesquecível....
♥♥



Se você gostou dessa postagem, poderá gostar também de:

sábado, 6 de março de 2010

Máscaras

"Fiz de mim o que não soube
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara."

Por Fernando Pessoa.

{E quantas máscaras insistimos em usar por anos e anos?  
Elas acabam se tornando parte de nós e um dia, quando despertamos e resolvemos tirá-la, ela já faz parte do nosso corpo, da nossa vida...

Existem pessoas que passam a vida toda encenando...vivendo como se estivessem em uma peça de teatro...pode ser bom...mas acho triste quando descobrirem que o que viviam era uma mentira...e que agora já não há mais tempo de viver a sua essência..

Enfim, até que ponto somos reais? Até que ponto nos mostramos como realmente somos? Até que ponto o que eu penso que sou, o que eu demonstro ser e o que o outro vê em mim é verdadeiro? Será que isso realmente importa?
(São questionamentos que vez ou outra me fazem pensar...)}



terça-feira, 2 de março de 2010

A ARTE DE AMAR




"Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.

As almas são incomunicáveis.

Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.
Porque os corpos se entendem, mas as almas não".

Manuel Bandeira

{Ah...e como os corpos se entendem! }

Link-Me


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails