quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

De repente...


De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma.
E das bocas unidas fez-se espuma
E das mãos espalmadas fez-se espanto.


De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama

De repente não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente não mais que de repente.


Vinícius de Moraes. (Soneto de Separação).


Amigo Oculto dos Blogs...Termina hoje o prazo para participar...(Clique e leia o regulamento, é muito bacana!).

2 comentários:

  1. ah, bem que eu queria entrar nesse amigo oculto, mas estou sem um puto no bolso com um monte de coisa pra pagar... =/

    E está tudo bem com vc?

    e AMO Vinicius. Ele não é só uma pessoa, é um estilo de vida!


    Beijos,
    Jaque.

    ResponderExcluir
  2. JAQUE, tudo bem sim...Vinícius fala tudo que eu sinto...é íncrível!

    Beijos.

    ResponderExcluir

Um pouco de você... "se abra", se entregue...sou toda ouvidos e olhos, a seu dispor!

Link-Me


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails